Público: é isto que eu quero!

Na terça-feira, dia 02, encontrei Vinícius no Shopping Pátio Belém, na fila de um caixa eletrônico do BB. Entre uma conversa e outra, falamos sobre o nosso espetáculo, sobre o processo. Nos mostramos muito satisfeitos com a duração, provável, da peça, e em como construímos o seu final. Ele comentou comigo que foi de extrema importância a volta a uma sala fechada, sem o olhar das pessoas. Pois, nessa volta, a “coisa engrenou”, deslanchou. E devo admitir que também tive esta percepção.

Ele me disse que não se sentiu à vontade nos períodos em que ensaiávamos na rua.Acho que alguns integrantes não gostaram desta parte. Infelizmente, para eles e para o processo, pois, acredito eu, se estivessem mais “abertos” , o processo seria mais “aberto” ao público, no sentido de aceitação de indicações, de sugestões… Eu acho! Será?

Uma outra questão também surgiu: a estreia do espetáculo. Vini comentou que iremos  sentir mesmo o espetáculo, sua temperatura na estreia, pois será o momento do encontro com o público. Momento em que perceberemos se a piada surtiu algum efeito, se nossa adaptação ficou bem estruturada etc. Algumas destas respostas já temos, mas o público…Ele será o termômetro!!!!

Aí penso cá com meus botões que é ele, o público, que almejamos, com muita fome, então pq o fechamento diante dele durante o processo? Hum…me pergunto sempre isso. Sabe, sei que deve ter passado na cabeça a ideia de que as pessoas, vendo nossos ensaios, não teriam mais a graça da descoberta, do novo no dia da estreia. Será? Será que isso poderia acontecer? Eu estava (e ainda estou) tão encantada e presa ao processo, ao compartilhamento das pessoas em nosso processo, que nem me preocupei com tal fato, se o encantamento não ocorreria mais. Mas, vraiment,  eu não acredito nesta sentença. Senão as obras de artes teriam somente uma única apresentação e seriam “queimadas na fogueira” (lembrando as bruxas!). Eis que existe a contemplação; a arte está aí para ser contemplada.

Então não acredito nisso, não acredito que o público não riria, não cantaria, não se felicitaria conosco na estreia, sendo que ele já conhece o processo, o espetáculo. Se isto fosse verdade, não teríamos a plateia, os fãs que temos (acho que não estou sendo demais!). Sempre fui e sou favorável ao público, à sua colaboração, ao seu tear, e se nosso diretor quiser que, antes da estreia, voltemos à rua direi SIM, pois PÚBLICO: É ISTO QUE EU QUERO!!!!

Anúncios

~ por suani correa em 5 fevereiro 2010.

2 Respostas to “Público: é isto que eu quero!”

  1. SUani, é uma maravilha ver como vcs desenvolveu o blog! Parabens, beijos
    nayse lopez

  2. Oi Nayse!!!!Muito bom vc aparecer por aqui!!!!É, não tive como parar, me viciei no mundo digital, rsrsrsrrs. Comente mais vezes, ok?Bjs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: